DICAS CULTURAIS


LIVROS

O Fim do Homem Soviético
Autor (a): Svetlana Aleksiévitch
Editora: Companhia das Letras
O povo russo assistiu com espanto à queda do Império Soviético. A política de abertura do governo Gorbatchóv impôs uma mudança drástica da estrutura social, do cotidiano e, sobretudo, da direção ideológica da população. Em O fim do homem soviético, Svetlana Aleksiévitch examina a vida das pessoas afetadas por essa transformação. Em cada personagem está um pouco da história russa – a mãe cuja filha morreu em um atentado; a antiga funcionária do Partido Comunista que coleciona carteiras abandonadas de ex-filiados; o velho militante que passou dez anos em um campo de trabalhos forçados. O livro traz um painel fantástico de russos de todas as idades que se movem entre a possibilidade de uma vida diferente e a derrocada da sociedade que conhecem.

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Meninos de Zinco
Autor (a): Svetlana Aleksiévitch
Editora: Companhia das Letras
Entre 1979 e 1989, as tropas soviéticas se envolveram em uma guerra devastadora no Afeganistão, que causou milhares de baixas. Enquanto a URSS falava de uma missão de “manutenção da paz”, levas de mortos eram enviadas de volta para casa em caixões de zinco lacrados. Este livro apresenta os testemunhos honestos de soldados, médicos, enfermeiras, mães, esposas e irmãos que descrevem os efeitos duradouros da guerra.
Svetlana Aleksiévitch nos mostra a verdade sobre o conflito soviético-afegão: a destruição e a beleza de pequenos momentos cotidianos, a vergonha dos veteranos que retornaram, as preocupações com todos que ficaram para trás. Publicado em 1991, Meninos de zinco provocou enorme controvérsia por seu olhar perspicaz e angustiante sobre as realidades da guerra.

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

A Guerra não tem Rosto de Mulher
Autor (a): Svetlana Aleksiévitch
Editora: Companhia das Letras
A história das guerras costuma ser contada sob o ponto de vista masculino: soldados e generais, algozes e libertadores. Trata-se, porém, de um equívoco e de uma injustiça. Se em muitos conflitos as mulheres ficaram na retaguarda, em outros estiveram na linha de frente. É esse capítulo de bravura feminina que Svetlana Aleksiévitch reconstrói neste livro absolutamente apaixonante e forte. Quase um milhão de mulheres lutaram no Exército Vermelho durante a Segunda Guerra Mundial, mas a sua história nunca foi contada. Svetlana Aleksiévitch deixa que as vozes dessas mulheres ressoem de forma angustiante e arrebatadora, em memórias que evocam frio, fome, violência sexual e a sombra onipresente da morte.

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Os Três Imperadores
Autor (a): Miranda Carter
Editora: Objetiva
Nos anos que antecederam a Primeira Guerra Mundial, as grandes potências europeias – Grã-Bretanha, Alemanha e Rússia – eram governadas por três primos: Jorge V (rei-imperador da Inglaterra, do Império Britânico e da Índia); Guilherme II (o último cáiser) e Nicolau II (o último tsar). Juntos, reinaram sobre os últimos anos da Europa dinástica, no início da mais destrutiva guerra até então, inaugurando o século mais violento da história europeia.
“Os três imperadores” é um retrato de três homens – o desacreditado e egocêntrico Guilherme, o discreto e teimoso Nicolau e o ansioso e diligente Jorge – e suas vidas, fraquezas e obsessões. Ao mesmo tempo, a autora entrelaça um instigante relato dos acontecimentos que levaram à Primeira Guerra Mundial.

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Pós-Guerra – Uma História da Europa desde 1945
Autor (a): Tony Judt
Editora: Objetiva
Com uma abordagem inovadora, Judt trata praticamente todo o século XX como “o epílogo da Segunda Guerra” e considera o ano de 1989, marcado pelo colapso do comunismo e a queda do muro de Berlim.
Apesar do tamanho e complexidade do continente, Judt criou um relato coeso de seu passado recente. Sofisticado e ao mesmo tempo acessível aos leigos no assunto, Pós-guerra reúne relações internacionais, políticas internas, pensamentos e teorias, mudanças sociais e aspectos culturais numa grandiosa narrativa.

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Portinari – o pintor do Brasil
Autor (a): Marilia Balbi
Editora: Boitempo
Cândido Portinari (1903-1962) é o pintor brasileiro que mais alcançou projeção internacional. O livro aborda as principais questões da vida e obra do pintor paulistano, trazendo panorama de sua participação na área artística, política e cultural no Brasil.

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

As Leis Fundamentais da Estupidez Humana
Autor (a): Carlo M. Cipolla
Editora: Planeta
Desde tempos imemoriais, uma poderosa força do mal vem prejudicando o bem-estar e a felicidade dos homens. Seus efeitos são catastróficos e globais. Essa força gigantesca é a estupidez humana.
Por isso, Carlo M. Cipolla, notável professor de história econômica da Universidade da Califórnia, diante do estado atrapalhado da humanidade, criou um modelo econômico de importância vital que nos permite detectar, conhecer e neutralizar essa ameaça: As leis fundamentais da estupidez humana. O pequeno clássico do século XX retorna às livrarias para ajudar todos que se desesperam com a onipresença da estupidez, até entre “intelectuais”. Este pequeno livro hilário vai ajudá-lo a enfrentar os eventos políticos mais desconcertantes, colegas de trabalho irracionais e o jantar de Natal com os parentes por meio das regras de ouro do primeiro e único modelo econômico da estupidez.

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

A Brief Eternity
Autor (a): Pascal Bruckner
Editora: Polity
There is one fundamental thing that has changed in our societies since 1950: life has got longer. Over the last few generations, 20 or 30 years have been added to the duration of our lives. But after the age of 50, human beings experience a kind of suspension: no longer young, not really old, they are, as it were, weightless. It is a reprieve that leaves life open like a swinging door. The increase in life expectancy is a tremendous step forward that upsets everything: relations between generations, patterns of family life, the very meaning of our identity and our destiny. This reprieve is both exciting and frightening. The deadlines are getting shorter, the possibilities are shrinking, but there are still discoveries, surprises and upsetting love affairs. Time has become a paradoxical ally: instead of killing us, it carries us forward. What to do with this ambiguous gift? Is it only a question of living longer or living more intensely?

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

O Progressista de Ontem e o do Amanhã  – Autor (a): Mark Lilla – Rosa Freire d´Aguiar (Tradutora) – Editora: Companhia das Letras

Mark Lilla, cientista político defende a revalorização da política institucional e da persuasão democrática para restaurar o primado da justiça e da solidariedade sobre as identidades grupais ou pessoais. No final de 2016, a surpreendente vitória presidencial de Donald Trump assinalou um momento crucial na política norte-americana, com repercussões em todas as democracias do Ocidente. Defensores do livre mercado e do bem-estar social à maneira de Roosevelt, Kennedy e Obama, os liberais progressistas repentinamente se deram conta de sua profunda desconexão com a massa das pessoas comuns. Para Mark Lilla, o sucesso das políticas identitárias de proteção às minorias, a coesão social e abriu caminho para a ascensão do populismo. O autor examina esse fenômeno histórico de consequências imprevisíveis para invocar um retorno urgente e radical aos fundamentos institucionais da cidadania.

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

As Brasas – Autor (a): Sándor Márai – Rosa Freire d´Aguiar (Tradutora) – Editora: Companhia das Letras

As brasas é um romance sobre a amizade, a paixão amorosa e a honra. Conta a história de dois homens que não se vêem há 41 anos. Foram amigos inseparáveis na infância, mas um dia, em 1899, um deles desapareceu. Algo muito grave aconteceu naquele dia, e é esse o enigma que agora, já no fim da vida, eles vão decifrar. Move-se entre os dois o fantasma de Kriztina, por quem eles travarão um duelo que se inicia como um civilizado jogo de esgrima, mas logo se torna uma luta árdua, embora os duelistas só disponham de uma arma: as palavras. O húngaro Sándor Márai nasceu em 1900. Exilou-se em 1948, inconformado com a implantação do comunismo em seu país…

XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXS2XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

Cisnes Selvagens – Autor (a): Jung Chang – Editora: Companhia de Bolso

Dos costumes ancestrais às violentas reviravoltas do comunismo, a China passou, em algumas décadas, por uma das mais radicais e amplas transformações já vistas na história da humanidade. Mergulhando nas memórias familiares de três gerações de mulheres, Cisnes selvagens é o relato verdadeiro, com todos os acentos do drama épico, de uma família que tenta preservar a própria humanidade em meio à vertigem e ao horror da trajetória da China neste século.

XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXS2XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

O homem que amava os cachorros – Autor (a): Leonardo Padura – Editora: Boitempo

Esta premiadíssima e audaciosa obra do cubano Leonardo Padura, traduzida para vários países (como Espanha, Cuba, Argentina, Portugal, França, Inglaterra e Alemanha), é e não é uma ficção. A história é narrada, no ano de 2004, pelo personagem Iván, um aspirante a escritor que atua como veterinário em Havana e, a partir de um encontro enigmático com um homem que passeava com seus cães, retoma os últimos anos da vida do revolucionário russo Leon Trotski, seu assassinato e a história de seu algoz, o catalão Ramón Mercader, voluntário das Brigadas Internacionais da Guerra Civil Espanhola e encarregado de executá-lo. Esse ser obscuro, que Iván passa a denominar ‘o homem que amava os cachorros’, confia a ele histórias sobre Mercader, um amigo bastante próximo, de quem conhece detalhes íntimos. Diante das descobertas, o narrador reconstrói a trajetória de Liev Davidovitch Bronstein, mais conhecido como Trotski, teórico russo e comandante do Exército Vermelho durante a Revolução de Outubro, exilado por Joseph Stalin após este assumir o controle do Partido Comunista e da URSS, e a de Ramón Mercader, o homem que empunhou a picareta que o matou, um personagem sem voz na história e que recebeu, como militante comunista, uma única tarefa: eliminar Trotski. 

XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXS2XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

Anarquistas, graças a Deus – Autor (a): Zélia Gattai – Editora: Companhia das Letras

Publicado em 1979 e transformado em minissérie em 1984, Anarquistas, graças a Deus é o livro de estréia de Zélia Gattai e seu primeiro grande sucesso. Filha de anarquistas chegados de Florença, por parte do pai Ernesto, e de católicos originários do Vêneto, da parte da mãe Angelina, a escritora trazia no sangue o calor de seus livros. Trinta e quatro anos depois de se casar com Jorge Amado, a sempre apaixonada Zélia abandona a posição de coadjuvante no mundo literário e experimenta a própria voz para contar a saga de sua família. É assim que ficamos conhecendo a intrépida aventura dos imigrantes italianos em busca da terra de sonhos …

XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXS2XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

O general em seu labirinto – Autor (a):Gabriel García-Márquez  – Moacir Werneck de Castro (Tradutor) Editora: Record

Em O general em seu labirinto, fascinado pelo general que um dia sonhou com uma América Latina unificada e livre, desde o México à Terra do Fogo, García Márquez retraça o percurso de Bolívar tanto no plano físico quanto no espiritual, estabelecendo um paralelo entre sua viagem até Cartagena das Índias, de onde ele partiria rumo ao exílio, e sua jornada inevitável à morte.

XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXS2XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

Notas sobre a esperança e o desespero – Autor (a): Luiz Felipe Pondé – Editora: Globo Livros

“Não pretendo oferecer um roteiro de como entender o desespero e daí postular alguma forma de esperança. […] Talvez cheguemos, no fim, a contemplar algum tipo de esperança, mas não terá sido uma ideia construída antes da escrita em si. A escrita, aqui, segue atormentada pela possível vitória do desespero. Este é meu convite a você”, escreve Luiz Felipe Pondé em uma das 20 notas nas quais divide seu novo livro. Luiz Felipe Pondé lança mão da filosofia, da teologia e da literatura para trazer interessantes reflexões sobre o binômio esperança X desespero.

XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXS2XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

Sobre a Liberdade  – Autor (a): John Stuart Mill – Editora: Edições 70

Esta obra apresenta a defesa clássica da posição de que o estado deve evitar ao máximo interferir na vida das pessoas, e foi muito influente tanto na filosofia política do século XX, como na própria política. O seu objectivo fundamental é asseverar o princípio do dano, de acordo com o qual o estado só está justificado em interferir na vida das pessoas para evitar que se cause dano a outras.
Sobre a Liberdade apresenta também aquela que é provavelmente a mais poderosa defesa alguma vez feita da liberdade de expressão – defesa que pode ser aceite independentemente de se aceitar ou não a posição geral de Mill.

XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXS2XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

Admirável mundo novo  – Autor (a): Aldous Huxley  – Editora: Biblioteca Azul

Para quem busca leituras sobre autoritarismo, manipulação genética, ficção especulativa e outros temas se tornam cada dia mais atuais. Em uma sociedade organizada segundo princípios estritamente científicos, Bernard Marx, um psicólogo, sente-se inadequado quando se compara aos outros seres de sua casta. Ao descobrir uma “reserva histórica” que preserva costumes de uma sociedade anterior – muito semelhante à do leitor – Bernard vai perceber as diferenças entre esta civilização e a sua – e a partir de um sentimento de inconformismo ele desafiará o mundo. 

XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXS2XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

Herdeiras do Mar – Autora: Mary Lynn Bracht – Tradutora Julia de Souza  – Editora: Paralela

“Sempre olhe para a praia quando voltar à superfície, senão você pode perder o norte”, a mãe disse, virando o rosto de Hana para que ela enxergasse a terra. Na areia, sua irmã estava sentada, protegendo os baldes que continham a pesca do dia. “Procure sua irmã depois de cada mergulho. Nunca se esqueça disso. Se puder vê-la, você estará segura.”

A história comovente e desconhecida das mulheres coreanas na Segunda Guerra Mundial ganha vida neste romance épico, profundo e sensível sobre duas irmãs e um amor capaz de atravessar gerações.

XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXS2XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX